Cadê meu tempo que estava aqui?!

pes_.jpg

Pergunto: onde terá se escondido o tempo? o meu tempo – aquele que ganhei quando nasci… que sensação de escassez é essa?

Ler despreocupadamente, caminhar sem rumo, jogar conversa fora sem tempo contado… tudo isso virou luxo, raridade. Ou sempre foi e eu não dei o devido valor.

Já para o trabalho, Raquel! Quem sabe consegue um tempinho, essa semana que inicia, para flanelar um pouquinho?

Temor

Com estes dias chuvosos meu único temor é que o céu me caia na cabeça, conforme previsões dos ecochatos e velha crença celta, sem que eu possa diagramar minha vida. Sim, pretendo morrer com tudo organizadinho.

Lenda ou historia, consta que Alexandre, o Grande, impressionado com o destemor dos guerreiros celtas em batalha, perguntou para eles se havia algo que lhes metesse medo – é provável que quisesse ouvir seu próprio nome – e estes responderam que não temiam nada, a não ser, é claro, a possibilidade de o céu lhes cair na cabeça.

O que vocês acham observando minha foto de São Paulo no dia 19 de novembro de 2007?

sampa_cinza.jpg

Meu convite de casamento

Recebi hoje o meu convite de casamento. Lindo! Papel vergê branco, fonte caligráfica “Zapfino” de Hermann Zapf, imagem das alianças em estilo aquarela e aviso de recepção aos convidados anexado com clipezinho dourado.

Eu não sabia que estava prestes a me casar. Eu deveria ter percebido, afinal já havia recebido algumas propostas de seguro de vida do noivo em questão.

Sinto muito meu querido noivo, 300 reais não são a minha cara… E têm mais, eu sei que você anda fazendo propostas para “outras”, viu? Você já foi mais seletivo…

Raquel, sua ex-noiva

PS: Caros amigos, lamento informar, mas a cerimônia foi adiada indefinidamente até o noivo elevar o valor – no limite da indecência – do presente e baixar as taxas até quase a invisibilidade.

convite_casamento.jpg

Capas | Sarita e seus amiguinhos

Não, a capa não é bonita, mas é da cartilha com a qual fui alfabetizada. Eu nem lembrava mais das imagens, somente das letras – cursivas arredondadas que eu achava o máximo e tentava imitar fazendo um esforço enorme com a mão! Por muito tempo procurei por um exemplar da “Cartilha da Sarita”, que eu jurava era o nome do livro, pois o meu exemplar não faço a menor ideia que fim levou… Procurei em sebos de Porto Alegre e Pelotas, e nada. Parece que ninguém nunca a usou. A única informação foi do site da UFRGs.

Se alguém souber de algum exemplar com um preço modesto, por favor, entre em contato.

Sarita e seus amiguinhos

Sarita e seus amiguinhos, de Cecy Cordeiro Thofehrn e Jandira Cardias Szechir, Editora do Brasil S/A, 1953. Imagens e dados do site da UFRGs,